Força Aérea


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Novos Chinook aliviam pressão sobre forças britânicas
Helicópteros começam a reduzir problemas de transporte
14.01.2010


A atrapalhada entrada ao serviço dos helicópteros Chinook do exército britânico parece ter finalmente sido concluída com a incorporação dos dois primeiros de um total de oito helicópteros adquiridos pelas forças armadas britânicas à Boeing. A falta dos equipamentos contribuiu para os problemas com o transporte de tropas e apoio logístico que têm afectado as forças britânicas no Afeganistão.

A aquisição das aeronaves esteve envolvida em complicados esquemas que resultaram num escalar dramático dos custos. Para poupar dinheiro, os britânicos optaram por adquirir uma versão mais antiga do helicóptero, a HC-2. A ideia era fazer um upgrade localmente, adaptando as aeronaves às necessidades operacionais do exército para um padrão equivalente ao HC-3 mais caro, mas que por causa da modificação local sairia muito mais barato.

O problema é que a indústria britânica não se mostrou à altura de fazer a modernização dos helicópteros e após os trabalhos terem terminado, verificou-se que a modernização britânica não cumpria os requisitos previamente estabelecidos.

A solução foi voltar a remover os sistemas incorporados para então efectuar uma nova modernização para o padrão mais moderno, mas com equipamentos norte-americanos e com certificação do fabricante, conforme o padrão HC-3.

A mudança e todo o processo, além de terem demorado muito tempo (praticamente quinze anos desde a decisão de compra até à entrada ao serviço), transformaram os Chinook britânicos nos mais caros helicópteros do tipo em operação.

Com a entrada ao serviço dos Chinook na versão Mk-3 (designação britânica) a situação crítica que as forças britânicas sentiram no Afeganistão deverá melhorar.
As qualidades deste modelo de helicóptero foram confirmadas pelos britânicos, que colocaram já encomendas à Boeing para mais vinte e duas unidades do Chinook.
Porém, as aeronaves adquiridas deverão ser fabricadas pela Boeing sem intervenção por parte da indústria britânica. Os britânicos já operam 38 helicópteros do tipo, devendo a frota atingir um total de 68.


Últimas noticias sobre este tema

Ucrânia continua a vender armas ao Kremlin

Avião da Malásia abatido por BUK-M1

Ministro russo irritado com Londres

Mais aviões da NATO para o Mar Negro

Turquia envia F-16 contra avião russo

Sukhoi T-50 atrasado 5 anos

Russos reconhecem interesse no Ecureuil

Rússia quer força de caças de 5ª geração nos próximos anos

 
| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia